Tim Lopes: 
Grafiteiros homenageiam Tim Lopes

O NOME de Tim Lopes foi pintado no mural por artistas de várias favelas


O jornalista Tim Lopes foi lembrado ontem pelos grafiteiros do Rio, que desenharam o nome do repórter da Rede Globo no painel pintado no muro ao lado do Espaço Criança Esperança, no Morro do Cantagalo, em Copacabana. O tema do mural, pintado por mais de 30 artistas de favelas de todos os cantos da cidade, é a liberdade de expressão. Ao todo, a pintura tem aproximadamente 60m. Esta foi a primeira homenagem a Tim, assassinado por traficantes que comandam a Vila Cruzeiro no dia 2.

Um dos coordenadores da manifestação artística, Def Yuri, explicou que o mural é uma homenagem à população sofrida do Rio de Janeiro. “É dedicado a todas as vítimas de violência e descaso”. Rubem César Fernandes, diretor do Viva Rio, um dos organizadores do protesto, afirmou que os grafiteiros já queriam pintar o muro e que a morte do jornalista foi o estímulo que faltava. A iniciativa também teve apoio do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio.

Foi o grafiteiro e dançarino André Alves de Souza, 27 anos, que pintou o nome de Tim no mural, em azul claro e escuro. “Foi uma injustiça. Não queria que isso acontecesse com nenhum jornalista. Quero que o caso Tim fique na memória das pessoas”, disse André. O grafiteiro explicou que desenhou um sol próximo ao nome de Tim, no grafismo intitulado Iluminação Infinita , para que o astro ilumine o repórter onde ele estiver.

Fernandes afirma ainda que o painel busca mostrar que a cultura hip hop e o grafite estão dissociados da violência. “Vamos mostrar que a arte que sai das favelas é pela paz”, garantiu. Segundo o diretor da ONG, o Cantagalo foi escolhido porque serve de exemplo da convivência pacífica entre polícia e as comunidades das favelas.

O Cantagalo é a única favela do Rio a contar com um Grupamento de Policiamento em Áreas Especiais (GPAE). De acordo com o major Antônio Carlos Carballo, um dos policias que implantou o projeto na comunidade, os GPAEs chegarão a outras favelas ainda este ano. Em agosto, o projeto começará na Tijuca, nos morros da Formiga e Casa Branca.

Fonte: www.odia.com.br


 

Fechar